Porque eu trabalho em um emprego que eu não gosto?

Há alguns dias, escrevi em um dos meus textos aqui que mudar de país poderia ser ainda mais difícil do que se acomodar em um emprego que a gente não gosta. Escrevi que o emprego que eu estava no Brasil tinha um prazo de validade para mim. Mas porque eu estou hoje, no Canadá, e trabalhando em um lugar que não é muito a minha praia?

Veja bem, os fins justificam os meios. Claro, nem sempre isso é verdade… Mas especificamente agora, meu emprego justifica o que eu quero fazer no futuro. Num futuro bem próximo.

Cheguei no Canadá há quatro anos e meio. No começo, trabalhei na biblioteca da faculdade, como vendedora em  uma loja de departamento, trabalhei como coordenadora educacional em uma ONG, também como coordenadora de mídias sociais, trabalhei como intervencionista comportamental ajudando crianças com autismo, também fui assistente de pesquisa, fiz trabalhos voluntarios… e tudo isso me trouxe aqui, onde estou hoje: trabalhando como assistente administrativo em uma Administradora de Condomínios.

Se você conhece minha história, sabe que eu me formei em Administração de Empresas com foco em Meio Ambiente. A parte do “Meio Ambiente” é realmente o que me levou a terminar (e a começar essa graduação). Isso sim, é um aspecto importante da minha trajetória – sempre estar próxima de coisas que eu valorizo e que me trazem crescimento pessoal e profissional.

Considero que meu emprego hoje, é apenas um meio para o que eu realmente quero. Quando terminei a faculdade, precisava encontrar um emprego para que eu pudesse continuar no Canadá. Essa é a melhor forma para que eu consiga manter meu status e continuar morando no país pelo qual eu tanto me apaixonei. Então, eu encontrei esse emprego.

Estou trabalhando aqui já há quase 10 meses e por mais que esse não seja o meu emprego dos sonhos, ainda pretendo ficar aqui por um tempo. Um dos motivos é que apesar de achar que eu já não estou aprendendo muito mais, eu sei que estou aprendendo a ser paciente. Sim: esse emprego faz com que eu seja mais tolerante com as pessoas e com a velocidade com que as coisas acontecem (eu sei, há controversias ha ha ha). Outro motivo é que depois de um tempo trabalhando aqui, queira eu ou não (e eu quero), eu vou sim ter uma experiência profissional mais ampla. Isso vai abrir portas pra mim no futuro. Já o terceiro motivo é que meu marido e eu temos um projeto grande que está para acontecer, e se eu continuar tendo um pouco mais de paciência, vou conseguir chegar onde nosso projeto nos levará passando por menos obstáculos.

E por fim, o motivo que eu tento fazer com que seja o meu maior sucesso: meu emprego já não é mais um desafio para mim. Pra mim, é mamão com açúcar agora trabalhar aqui. Eu conheço os processos e conheço as rotinas. Mas eu desafio meu trabalho. Lembra da minha formação: Administração de Empresas com foco em Meio Ambiente? Quando eu comecei a trabalhar aqui, detestei muitos dos processos. Desde então já fui capaz de mudar várias coisas, e consegui fazer com que as operações de uma pessoa com o mesmo cargo que eu fossem mais eficientes. Sim, eu fiz o meu trabalho mais eficaz. Talvez isso coopere para o fato do trabalho acabar tão rápido de vez em quando, mas o fato é que eu consegui desafiar a rotina que me mostraram e fazer com que as coisas funcionem um pouco melhor. Não estou de modo algum dizendo que aperfeiçoei as operações de uma empresa que está no ramo há mais de 50 anos, mas consegui investir um pouquinho do que eu acredito em processos simples do dia-a-dia.

Ao invés de ignorar as partes que eu não gosto, eu as desafio, apresento ideias para meus supervisores, proponho mudanças, como acabei de mencionar. E não é que todo mundo aceita tudo que eu tenho para falar. E muitas vezes não aceitam! Mas eu não deixo de apresentar ideias e propor coisas novas, jeitos mais eficazes de se operar.

Não posso negar que eu fico frustrada trabalhando numa área que eu não tenho tanto interesse. Muitas vezes me pergunto se estou fazendo a coisa certa ao continuar aqui. Questiono todas as razões que me fizeram mudar do Brasil para o Canadá… Mas aí eu páro, penso, converso com as pessoas que eu amo: e sim… Os fins justificam os meios. E o que está para vir é muito maior!

Imagem: Daria Nepriakhina

Advertisements

One thought on “Porque eu trabalho em um emprego que eu não gosto?

  1. Em um caso como esse, realmente os fins justificam os meios. Neste caso em especial, você faz com que os meios não sejam os mais chatos e inconvenientes, portanto, você obtém sucesso do que faz! Parabéns por ser essa pessoa determinada que sempre sonhei que fosse! Te amo 🙂

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s